Follow by Email

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Uma nova flor

Esta cidade, hoje, este mês, este ano.

Uma nova flor vou plantar

Oi, abri sem querer sua carta, mas senti necessidade de responder. Bella, quanta saudade tenho de ti, amiga. Dizes tu não compreender a loucura, digo eu, se tu és louca, sou tua companheira na camisa de força. Pois não vejo em ti loucura. Que riam de ti, de mim, e nós nem aí. Disseram-me hoje "está me dizendo que não tem voz?" . Mas Bella, eu tenho voz ela se chama poesia, conto, trecho, rabisco, frase que traduzido é voz  .Era verdade Bella, tem tempos que não escrevo, a minha voz estava amarrada no peito, num nó cego de marinheiro. E tua carta, tua áurea libertou a mim. Tanto tempo amiga, fiz tanto e no fim nada fiz. Descubro-me dia após dia, cada vez mais descalça, nua de tudo de gente até de mim mesma. E quanto mais me desvisto, mais roupas novas quero vestir  .Peço a ti, em retribuição, não chore no oculto entre quatro paredes, não o faça também escondida de quem dorme ao teu lado. Chore tinta sobre uma folha branca. Escreva sempre que sentir.Obrigada por ser.

Mande beijos para os fulanos, diga aos sicranos as boas novas, aos beltranos diga que não estamos nem aí. Bjs

Nenhum comentário:

Postar um comentário