Follow by Email

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Beije- me ao final

Sinto tua falta
Uma necessidade de te ver
O tempo passou a ser cruel
Depois que tu passaste a existir
Ele a todo o momento me lembra a tua ausência
Mostra que outros possuem o ar da tua graça
Será que és tu tão importante para eles?
Quanto és para mim?!
Não há de ser
Todo o meu corpo te chama
... te quer
Precisa
Almeja
Fio a fio... os meus cabelos te buscam
Os meus dedos dançam no ar
Um balé dessincronizado
Perdidos sem ti
Querendo tocar-te
Minha pele deseja a tua
Desejos também carnais
Por hora
Desejos de pele
De calor
Sentir
Deslizar
Um desejo de dormir no teu peito
De descansar no conforto de ti
Pele e pele a minha fala com a tua
Visão desértica do oásis
Preciso de ti
Por que tu és assim?!!!!!!
Tão querido por mim
É mentira
Tem que ser
Tu não és o doce
És o amargo
Não és bom
És cruel
Boca que distante da minha te fazes
Conta- me a verdade
Revele os muitos segredos
Da mentira um presente
Dou- te ouvinte
Todos os sentimentos que nasceram
São o meu melhor
Os mais puros
E sinceros
Raízes da flor que busca o sol
Que cresce na selva
Na esperança de ver a luz
Luta contra tudo
Contra as árvores
Os animais
O clima
Busca em si força
Na raiz
Lá no fundo
Bem...
Lá...
Busca sustento
Vá para o alto!!!
Vá!
Vá...
Flor!
Flor obstinada
Na busca cruel de um sentir
Assim são meus sentimentos 
Como a flor que sobe na ânsia pela luz
E se satisfaz com a visão
Com o sentir
Sem ao menos um toque
Na ausência
Assim são meus sentimentos
Esperançosos
Quem sabe um dia
Antes do nascer do sol
Encontre o toque do orvalho
Chegue o dia do orvalho!!!!!
Levante o sol que irá te trazer!!
Se assim não for
Renego a ti as palavras
Agradeço
Porém
Não a ti pertencem mais
Amigo (leitor ou ouvinte)
Se tens amado
Embrulhe estes pequenos versos
Faça um lindo laço
E entregue ao seu doce amor
Parabéns a ti que abriste este laço
Eu dei para teu amado
As linhas
Ele te encontrou nelas
Nos verdadeiros sentimentos
Parabéns!
És tu amado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário