Follow by Email

segunda-feira, 9 de abril de 2012

A Cinderela adormecida


A escolha de casar não é fácil, existem muitas coisas envolvidas, principalmente duas vidas, essas devem estar dispostas a um novo ritmo. Cinderela não pensou muito queria casar e ter filhos  não fez planos apenas aceitou o pedido.
            Em casa sozinha, Senta-se e chora, após a saída do marido e  ter deixado os filhos na escola. O que aconteceu com os sonhos de Cinderela?! Entre as trocas de fralda e o jantar que precisam estar pronto antes do marido chegar, ela se lembra dos planos que tinha, da carreira que queria ter. Dependente, era tudo o que não queria ser.
            Mas por que chora Cinderela? Tudo ainda pode acontecer basta querer. Sentada pensa, “Como vou estudar, tenho que pensar nós filhos primeiro, no marido”. Cinderela dormindo,  não consegue ver que está em suas mãos o futuro seja ele qual for, seja o que desejar. É muito fácil falar, “lute”, quando a realidade é outra. Cinderela deixou o comodismo tomar conta, agora não consegue se levantar. Sente-se realizada por ser boa mãe e esposa,  porém falta algo está triste, pois está adormecida. Os tempos mudarão e Cinderela optou pelo tempo antigo era como deria ser, foi criada para ser assim. Se isso é verdade, por que essa moça sofre? Deveria estar feliz porém  o tempo mudou isso aconteceu.
            Branca de neve estuda, Rapunzel é gerente e Cinderela não está feliz. A vida dela não é ruim ao contrário é boa, apenas não é a realidade que Cinderela queria ter. Escolhas feitas agora age como se tudo tivesse acabado,porém isso não é verdade. Como dizer-lhe que ainda há tempo, que mudar é uma questão de escolha nova. Não será fácil é verdade, terá serviço triplicado mas ela da conta do recado tudo em prol da satisfação  pessoal.
            Acredite Cinderela, que você pode e verá que se nada der certo você ao menos tentou.  Essa atitude fará com que se sinta melhor. Não espere dos outros uma mudança que deve ocorrer em você primeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário