Follow by Email

terça-feira, 20 de março de 2012

Aquele olha de moça

Eita!! moça dos olhos distantes
Impetuosa...
Carrega dentro de si mais segredos
Do que o mundo dos segredos
Consegue entender

Blindada
És um forte de guerra
Escondes atrás das farpas
As muitas dores
Desilusões...
Tristezas...
Sofrimentos...

Vendes uma imagem
Longe de ser a realidade
Escondes as cicatrizes...
As saudades...
Amarguras...
Sente-se só... ...

Estás desamparada
Dos amores que te geraram a vida

Não entendes...
Tanta injustiça... ...
Por ventura guarda dentro de si
As indignações

Moldados de dor
Somos todos nós
Nesse tempo ao qual estamos...

Tempo de banalidades
Escolhemos essa falta de conhecer
Ou
Foi-nos imposto e tivemos que aceitar

Menina moça
Com dores de idade...

Moça...
Que sofre por ter que crescer

Em teus olhos distantes
Minha cara...
Vejo


O que sempre vejo
Em todas as moças do seu tempo...

Indignação estagnada
Que não move...
Não gera... ...
Morre... .... ...

Você resolveu
Ou eu forcei
Bem!! Agora nem sei
Libertar faíscas de verdades

E eu te achava...
Tão verdadeiramente moça...
Com problemas de moça...

Hoje
Acho- te mais protegida
Mais escaldada

Entendes, caro leitor!!!
A minha incompreensão.
Moça
Para mim
Em tempo de moça

Eu tive o meu
Tempo em que nasci
Nasci

Em que criança
Criança

Moça
Ai, ai, ai...
Moça... ... ...

Agora
Tempo de aprendizado

Mas essa moça
Carrega pesos
Aos quais não quer
Responsabilidades
Em tempo de irresponsabilidades

Moça bonita
De olhos grandes
Com barreiras de vidros
Intransponíveis

És o reflexo de seu tempo
Esse nosso
Incompreendido...
Duvidoso...

Na folha branca
Nossas histórias em negro carvão
Redesenhadas e pintadas
Na folha fina

Muito mais coloridas
Cheios de rosas
Vermelhos
Verdes- vivos
Azuis- celestes

Moça
Teus olhos até agora me impressionam
Percebo que falaram muito
E nunca os ouvi...

Queria poder dizer
“ Isso mudará”
Mas o ouvinte,
Impede-me de mentir
Vigia-me

Se ele olhar para o lado
Eu sussurro
Mentiras...
Que se somaram
As muitas que te dizem

(Leitor)“ Que amigo és tu?
Digas a verdade”

Entenda
Os olhas da moça estão fechados
Dizer-lhe a verdade
A fará sofrer mais
Pois acredita que a mentira é verdade

Se revelar que a mentira
É mentira...
Que o colorido pintado
É negro...

Ah! Não leitor
Guarde-me de ser o des-ilusor

(O leitor)“Sabemos que não será assim”
Eu sei , meu caro, de seus dias sofridos
Sei do seu cansaço
Entendo a ti

Fostes moldado pela mão esmigalhadora de pétalas,
E renasceste...

A moça
É moça...
Nós já temos tempo
Ela não...

Moça!!!
Entenda o leitor
Que caminhou comigo
Nessas linhas
E viveu o seu olhar
Diante dos meus

Está em ti
Em suas ações
A diferença
Arrancaram de ti a esperança

Entenda!
Esta estrada tortuosa
É apenas um dos caminhos
Não vá descalço
Tem muitas pedras

E se este caminhar
Parecer-te solitário
Não será

O leitor aqui
E eu
Estaremos contigo

Entenda a vida
O seu sentido
As suas lições
E sofra...
Apenas
Não se esqueça de rir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário